sábado, 13 de fevereiro de 2016

Autoridades do Estado e do governo federal participam da mobilização nacional contra Aeddes Aegypti


Chegou o dia ‘D’ de mobilização nacional contra o mosquito Aedes Aegypti‏


Dia D de combate ao Aedes Aegypti‏
Dia D de combate ao Aedes Aegypti‏
O governador Flávio Dino, ao lado do ministro-chefe da Casa Civil, Jacques Wagner, e do prefeito de São Luís, Edivaldo Holanda, participam neste sábado (13), na capital, do dia de mobilização nacional contra o mosquito Aedes aegypti, transmissor do vírus da dengue, chikungunya e do zika vírus. A ação está sendo realizada em 353 municípios brasileiros, atendendo a uma convocação da presidenta Dilma Rousseff.
No Maranhão, o Governo do Estado, por meio da Secretaria de Estado da Saúde (SES), Forças Armadas (Exército, Marinha e Aeronáutica), Secretaria Municipal de Saúde de São Luís (Semus), Secretaria Municipal de Obras e Serviços Públicos (Semosp), Defesa Civil, Corpo de Bombeiros e demais instituições que integram o Comitê Interinstitucional de Combate ao mosquito no Estado, realizaram o ‘Sábado da Faxina’.
Os bairros São Francisco e Ilhinha foram escolhidos para a abertura da mobilização por apresentarem alto risco de infestação do mosquito, de acordo com o Levantamento de Índice Rápido do Aedes Aegypti (Lira). Durante toda a manhã deste sábado os moradores receberam ações conjuntas do poder público.
Mais de 8 mil imóveis estão sendo visitados por 286 agentes de endemias e 48 supervisores de campo do município de São Luís, acompanhados de 376 militares do Exército, Aeronáutica e Marinha;e 100 homens da Defesa Civil e Corpo de Bombeiros.
Cerca de 850 profissionais integrarão três equipes – uma atuam na Ilhinha, e as outras duas cobriram todo o bairro São Francisco. Além das ações de visitação das casas e repasse de informações à população, carros de aplicação de inseticidas Ultra Baixo Volume (UBV) da SES foram destacados para a área da mobilização.
Houve também a operação ‘Bota Fora’, onde dois caminhões da Semosp recolheram entulhos dos quintais dos moradores, fazendo o descarte adequado e evitando possíveis locais de proliferação do mosquito.
Via Minard

Decreto do governador do MA retira o nome de Sarney de 7 escolas estaduais


Sete escolas estaduais do Maranhão batizadas em homenagem ao ex­. presidente José Sarney tiveram os nomes alterados por um decreto assinado pelo governador Flávio Dino (PC do B). No total, o nome de 37 escolas que homenageavam pessoas vivas foram trocados por nomes de professores, políticos, religiosos e poetas que já morreram, como os ex-­deputados João Evangelista e Júlio Monteles.
A filha de Sarney, a ex­-governadora Roseana Sarney, e mulher dele, Marly Sarney, também perderam as homenagens. O nome de Roseana batizava três escolas, e o de Marly, uma.
O decreto foi publicado no “Diário Oficial do Estado” no último dia 14 de janeiro. Outro nome próximo ao clã Sarney, o do senador Edison Lobão, que é ex-governador do Estado e ex-­ministro de Minas e Energia, foi retirado de quatro locais.
Há um ano, quando assumiu o governo do Maranhão, Dino assinou um decreto que proibia que bens públicos do Estado recebessem o nome de pessoas vivas ou responsabilizadas por violações aos direitos humanos durante o regime militar.
No caso das pessoas vivas, a medida não era retroativa, de modo que Sarney continuava a dar nome a pelo menos 160 escolas do Maranhão, além de
bibliotecas e obras viárias em todo o Estado. Com o novo decreto, os nomes do ex-­vice­-governador do Maranhão e atual senador João Alberto de Souza, do ex­-governador João Castelo, da ex-secretária de Educação Leda Tajra, do ex­-vice-­presidente Marco Maciel e do ex­-deputado federal Magno Bacelar também foram apagados da fachada de centros de ensino. O poeta maranhense e membro da Academia Brasileira de Letras Ferreira Gullar também deixou de ser homenageado.

A medida promovida pelo governador está prevista na lei federal 6.454, de 1977, que proíbe a atribuição de nomes de pessoas vivas a bens públicos em todo o território nacional. No “Diário Oficial”, Flávio Dino justifica a decisão com base no artigo 64 da Constituição Estadual, que garante ao governador do Estado a competência de sancionar e fazer publicar as leis e expedir decretos para sua execução.

Neto Ferreira

TOMA LÁ DÁ CÁ DO LEGISLATIVO MUNICIPAL DE TUTÓIA REPERCUTE NA REGIÃO






Paulo do Jardim-Professor


BERNARDO BENTO, finalmente vereador em Tutoia.
Bernardo do Jardim, como é conhecido na politica de Tutoia deve assumir nos próximos dias uma cadeira no legislativo de Tutoia, pois, um dos parlamentares da casa Christian Noronha, em entrevista a Radio Dunas Mar na manha de ontem, disse que vai renunciar e ocupar a secretaria de turismo no município de Tutoia. Christian Noronha era do bloco oposicionista desde o inicio do legislativo e agora vai compor com a gestão atual, a mesma que o próprio sempre criticou e foi ferrenho em suas palavras naquela casa.

Quem acompanha os fatos da politica em Tutoia, fica evidente a manobra politica da gestão atual em desestabilizar a oposição que se articula na corrida para a prefeitura em 2016 e dando um golpe de mestre na câmera municipal ficando assim com a maioria no legislativo, atendendo a interesses, como assim fizeram todos que passaram por aquela casa.

Bernardo Bento vem disputando uma vaga ao legislativo de Tutoia desde2004 e passaram-se três eleições consecutivas e apenas derrota nas urnas, todavia na ultima eleição de 2012 com 446 votos ficou na suplência e finalmente chega ao seu objetivo que é legislar para o povo tutoiense.

O vereador Christian defendeu-se em sua entrevista dizendo que não era traidor e que seu antigo grupo sempre o fez da mesma forma o jogo sujo da politica.

O que espero do novo parlamentar é que realmente possa fazer a diferença nesses 10 meses de mandato. Que cumpra o papel de vereador e não ser mais uma marionete no jogo do poder.
Todos envolvidos neste processo têm responsabilidades. É vergonhoso o que tem acontecido no nosso município. A ausência de cobrança pelo povo, de uma participação interessada, de um entendimento sobre como funciona a máquina pública e a vida política favorece, e muito, o alastramento da corrupção e a não fiscalização e regulação das repartições públicas.

Não critico aqui o nobre vereador Christian Noronha, pois o sistema da politica é esse mesmo. O povo é cumplice nas ações vergonhas do legislativo e executivo. Essa questão de mudar de lado é corriqueira, embora vergonhoso, não importa os motivos, umas, por opção, outras por necessidade, outras para poder sobreviver, enfim, cada uma com seu motivo, seja lícito ou não, acabam caindo nas teias da burocracia, que favorece o surgimento da propina, da corrupção, que faz a alegria e a fortuna na vida dos cidadãos, administradores, governantes, políticos, corruptos por natureza ou picados pela mosca azul da politica. Vai ano, vem ano, vai governo, vem governo, e o jogo sujo da corrupção, do embate de vantagens em cima do dinheiro público não esmorece. Só aumenta.

Uma coisa é certa, quem não fez em 7 anos não o fará até em 7 meses que antecede a eleição, embora tenha uma equipe de técnicos como enfatizou o nobre parlamentar em sua entrevista, pois, não existe compromisso com a população nesse atual governo.

Renata Klingelfus Andraus disse em um dos seus artigos que todo mundo esta lutando para se defender, para sobreviver, para ter, para vencer, ou lutando sem nem bem saber para quê e por que. Uns contra os outros, uns nas mãos dos outros. Tudo acontece porque o iceberg tem duas pontas. Tem os fantoches e marionetes porque há pessoas que os manipulam, criam, encenam e trilham seus caminhos. Tem puxa saco porque há muita gente que não só gosta, como permite, incentiva e se envaidece com este tipo de atitude.
Todos somos políticos ou atores, ou as duas coisas. Porque no cenário que se construiu para sobrevivência e aquisição de bens materiais, ser sincero e natural, ser você mesmo seja lá quem você for é um tremendo risco. Risco de perder o emprego. Ou de perder amigos. De perder a promoção. Ou de brigar com a família. Risco de virar ermitão. Ou de não evoluir num relacionamento. Todo mundo diz querer sinceridade, mas quantos estão de fato dispostos a ouvir verdades?

Imagens que marcaram a semana de folia no povoado Barro Duro. "Carnaval 2016"





Mais um ano foi marcado com belas imagens de foliões nas ruas e bairros de Tutóia, "Carnaval 2016"









Artigo: Pavimentação, calçada e saúde pública


 Nossas Ruas e Avenidas

Andar sobre as ruas da cidade de Tutóia, é se deparar com ruas inacabadas, emburacadas, calçadas fora dos padrões, pedestres disputando espaços com veículos e animais, pondo os riscos em sofrer qualquer acidente no trânsito.
Sem contar com a despadronização de calçadas, meio fios e ruas.




Todos anseiam ouvir a epopeia política na promessa de campanha de que sua rua, sua cidade, receberá o “chão preto” – o tão sonhado asfalto. A pavimentação reduz consideravelmente a sujeira, elimina a lama, a poeira, e assim as doenças eventuais que poderiam gerar essas condições. O clima fica outro. Também aumenta o calor da zona urbana. Ele chega, talvez até bem feito, mas não há escoamento das águas das chuvas, não há meio fio, não há calçada. Dificilmente é considerado um bom gestor público aquele que passa seu tempo e não inaugura sequer um km de asfalto. Bem diz o eleitor. Tenho uma perspectiva diferente mesmo levando em conta as vantagens e desejos da maioria na concretização do asfalto. Sei que é preciso também. Com o asfalto surge outra necessidade e, esta é a calçada. Porque a sujeira, a lama, a terra das laterais invadem o asfalto e acabam por soterrá-lo. O mesmo fica como se não existisse e, um asfalto mal feito, cheio de buracos, ou soterrado por terra é pior que uma rua nua em terra pura, porém, bem zelada. A calçada ideal é aquela padronizada, preferência aos portadores de alguma limitação, sinalizada, enfim…; Embora não exista uma legislação nacional é proveniente de decretos municipais, e nisso podemos legislar. Novo Progresso, não tem, mas está se formando, urbanizando, portanto, é preciso aplicar novos conceitos logo de inicio. Quer-se asfalto é preciso ter uma calçada de preferência padronizada. O trânsito é prioridade primeira do pedestre depois dos veículos. Devemos exigir nossos direitos assim que estivermos ao menos consciente dos nossos deveres. Canalização fluvial é outro aspecto. Esgoto mais outro. O asfalto está acorrentado a outras mudanças físicas do ambiente para os quais as residências terão de se refazer às adaptações necessárias para cumprir o sonho da maioria dos progressenses quanto ao progresso urbano do nosso município. Antes de tudo a viabilidade de uma obra pública sugere raciocinar os impactos que a mesma acometerá. “Há tempo para toda boa obra debaixo do sol.”
Fabrício Visato

sexta-feira, 12 de fevereiro de 2016

Câmara Municipal de Tutóia retorna suas atividades Legislativa na próxima segunda-feira(15)



Novos episódios de 2016 recomeça na Câmara Municipal de Tutóia

Mês de Fevereiro/2016, promete ser quente na tribuna da Casa Legislativa, após o recesso de quase 90 dias. Um episódio bombástico nessa semana foi a notícia no mundo político em Tutóia, depois que um dos vereadores do bloco dos sete, quebrou à aliança que havia iniciado em 2014, e se fortalecido em 2015, pela oposição.

Christian Noronha(PRP), agora é bloco governista após romper com o grupo dos sete. Previsto assumir a Secretaria de Turismo ou Meio Ambiente. O suplente de vereador será seu substituto o Sr. Bernardo do Jardim(PRP), mas rumores já circulam no meio dos bastidores que Bernardo, possa ter se filiado em outra sigla partidária, o PSD, do atual governo. E se for consumado a mudança o mesmo ficará impedido de assumir o mandato.

Caso seja confirmado as informações Raimundo do Sintraf(PDT), será o próximo da fila, pela sua coligação. Esse é o jogo eleitoral entre suplentes e partidos.



                                                                   
Galeria da Câmara Municipal, foto em 2015, arquivo blog



Imagem inusitada da semana em Tutóia



Aconteceu!


Foi durante um cortejo que seguia para o sepultamento de um filho da terra falecido no último dia 09.02.2016, quando uma vaca pedia passagem no meio da multidão. Veja a imagem inusitada.